em Carreira

O poder da humildade

“A humildade é o reconhecimento da renúncia de si mesmo.”
São Padre Pio de Pietrelcina

Quando você trabalha como consultor, precisa medir a sua postura quando está no cliente. Especificamente, precisa estar atento ao julgamento que faz do dia-a-dia da empresa onde está prestando consultoria. Não precisa aceitar e se adaptar integralmente à cultura da organização, mas é obrigatório que a respeite. Sempre.

No meu caso, o foco é Gerenciamento de Projetos, Programas e Portfólio. Evidentemente que, à medida que sua credibilidade aumenta, você se envolve com outros assuntos que não aqueles para que foi contratado. É algo muito positivo e demonstra confiança, mas aumenta, também, o risco de você participar de discussões acaloradas sobre assuntos internos à esta organização.

Se o tema em questão não for do teu domínio, deixe isso claro. Aproveitar a situação de consultor para expor um falso conhecimento, achando que não será percebido, pode trincar uma confiança já estabelecida. Tampouco discuta com pessoas do quadro ao ponto de provocar uma situação de desconforto. Respeite as diferenças e procure facilitar o entendimento diverso da mesma forma que faria em uma negociação ou resolução de conflito.

Ser humilde profissionalmente requer um trabalho da paciência e do constante monitoramento das palavras. Não é ser passivo ou não expor o conhecimento e opiniões, mas sim saber que, naquele ambiente, você possui limites e que, se bem trabalhados, podem ser positivos para teu sucesso como consultor.

E saiba reconhecer excessos quando necessário. Saiba pedir desculpas e reconhecer erros. É um atributo muito valorizado hoje em dia. Consultor já carrega um estereótipo de convicção exacerbada. Baixar a guarda alimenta a confiança.

Escreva um comentário

Comentário